A visita do presidente da OABRJ, Luciano Bandeira, à Subseção de Duque de Caxias na manhã desta segunda-feira, dia 9, para abrir, ao lado do presidente local, Vagner Sant'Ana, a palestra do ministro do Superior Tribunal de Justiça Antonio Saldanha Palheiro serviu também para homenagear colegas que ultrapassaram a marca de meio século dedicados à advocacia destacando-se em suas áreas de atuação. Para marcar essa espécie de boda de ouro com a profissão, a OABRJ outorgou a Armando Gabriel da Silva Filho e a Luiz Lima Ramos a Medalha Sobral Pinto.

O trabalhista Armando Gabriel é figura conhecida da Justiça do Trabalho regional: integrou as juntas de conciliação e julgamento representando o sindicato dos funcionários da Petrobras. Ramos notabilizou-se pela atuação no Direito Imobiliário e Empresarial.

A honraria criada pelo Conselho Pleno da Seccional carrega o nome daquele que encerra em sua trajetória o ideal da profissão: conduziu a carreira com ética, destemor diante dos poderosos e compaixão pelos injustiçados de todos os matizes, até os contrários às suas convicções pessoais. Católico fervoroso, defendeu os militantes comunistas Luiz Carlos Prestes e Harry Berger durante a ditadura do Estado Novo de Getúlio Vargas (1937-45).  É dele a frase: “A advocacia não é profissão de covardes”. 

Na solenidade, Sant’Ana afirmou que Armando Gabriel e Luiz Lima são nomes “que, como advogados, ajudaram, como tantos outros, a fortalecer a advocacia de Duque de Caxias”.

Para Luciano, mais do que uma comenda, a Medalha Sobral Pinto é uma expressão de gratidão, de agradecimento, a quem durante  50 anos exerceu a advocacia com dignidade, independência e, como Sobral já dizia, muita coragem. 

“Não é fácil completar um período tão extenso de exercício nesta nossa profissão - uma profissão difícil, dura, de enfrentamento - sem nunca recuar da advocacia. Olhando para vocês, entendemos de onde viemos para podermos então construir um futuro seguro e melhor para a advocacia do estado”, ressaltou Luciano.