Formulário de busca

03/08/2018 - 20:58

Advogados cometam situação da Justiça do Trabalho

Advogados cometam situação da Justiça do Trabalho

 

Os horários das audiências, o acesso ao SAPWeb e o atendimento precário nas varas do interior foram as principais reclamações dos advogados e estagiários ouvidos pela TRIBUNA  na Justiça do Trabalho. No próximo mês, nossa reportagem visitará o Fórum Federal.

 

Esforço da OAB/RJ

 

"Meu elogio é para os esforços da OAB/RJ junto ao TRT para melhorar a situação da Justiça do Trabalho. Quando tivemos o problema com o sistema de informática (SAPWeb), por exemplo, vimos o trabalho da Ordem. Mas, no momento, a dificuldades que ainda percebo é a carência de serventuários". Elaine Torres, 41 anos

 

Horário das audiências

 

"Acho que os horários das audiências atrasam um pouco a vida dos advogados. Uma audiência fica muito próxima da outra. Além disso, várias audiências acontecem no mesmo horário em salas próximas e o corredor vira uma feira. Também faltam serventuários. Se os aprovados na PL 2550, por exemplo, fossem chamados, o andamento processual poderia melhorar". Patrícia Faillace, 33 anos

 

Horário das audiências II

 

"Um dos problemas na Justiça do Trabalho é o cumprimento de horário das audiências. Não conheço um advogado que atue na Justiça do Trabalho e não reclame dessa questão. Acredito que uma solução possível seria a descentralização da Justiça Trabalhista. Aliás, esta poderia ser uma das lutas da OAB/RJ daqui em diante". Carlos Fernandes Braga, 47 anos

 

SAPWeb

 

"Todos os que militam aqui sabem que a Justiça do Trabalho tem apresentando grande deficiência quanto ao sistema de informática, e isso precisa ser corrigido. É absurdo, por exemplo, que não tenhamos mais disponível, no TRT, uma máquina para conferirmos o andamento processual. Preciso ter um computador no meu escritório só para fazer isso". Cid Barros Ferreira, 50 anos

 

Bom atendimento

 

"Nos dias de audiência, aqui é um pouco confuso. Os corredores ficam cheios, não há muitos lugares para sentar, mas, no geral, o atendimento é bom, organizado. Eu trabalhava antes na área Cível e agora que estou na trabalhista. Acho o TRT mais organizado do que o TJ". Priscila Ribeiro Cordeiro, 23 anos

 

Secretarias das varas

 

"O acesso ao SAPWeb continua ruim, especialmente pela manhã, e isso dificulta o nosso trabalho. Outro problema é o atendimento nas secretarias das varas, que se torna lento porque, normalmente, só há um funcionário trabalhando". Marcos Vinícius Martins, 38 anos

 

Varas do interior

 

"Em termos de horários, a situação na Justiça do Trabalho é bastante precária. Por outro lado, existe muita atenção por parte dos serventuários e dos juízes para realizar o atendimento da melhor forma possível. Onde esse atendimento ainda é ineficiente é nas varas do interior. Seria bom que o TRT desse uma atenção especial a essas varas, como Itaboraí e São Gonçalo, por exemplo, onde eu milito e vejo como as coisas estão". Cristina Targino Paiva, 45 anos

 

Pautas das audiências

 

"O que me parece mais crítico na Justiça do Trabalho é a marcação das pautas das audiências. Normalmente, elas são fracionadas e a próxima só é marcada para quase um ano depois. O reclamante precisa aguardar muito tempo. Acredito que mais juízes substitutos poderiam ajudar a resolver esse problema". Paola Oliveira, 29 anos

 

Balcão de acordos

 

"A Justiça do Trabalho está virando um balcão de acordos. Os próprios juízes, de maneira geral, procuram diminuir a quantidade de processos através da realização de acordos. O problema é que às vezes sabemos que o trabalhador pode ganhar mais com uma ação, mas ele acaba induzido a ficar com um valor menor fazendo um acordo. Os acordos são o objeto da discussão aqui, não os direitos. Não é assim que se faz justiça". Alexandre Souza, 38 anos


Abrir WhatsApp