Diretora de Igualdade Racial da OABRJ, Ivone Caetano junta-se ao cordão de notáveis da advocacia que aderiram à campanha da Seccional (por meio do Observatório da Covid-19) e da Caarj, “Vacina é Direito”. A intenção é incentivar a advocacia a se imunizar contra a Covid seguindo as determinações do Programa Nacional de Imunização. Ivone tomou recentemente a primeira dose da Coronavac. 

Ela fez história ao se tornar a primeira juíza e desembargadora negra do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro em 2014. Depois, foi titular da Corregedoria Geral Unificada da Secretaria de Estado de Segurança. Antes de ingressar na magistratura, em 1993, advogou por 18 anos. Hoje, ela colhe os louros da longa trajetória: foi a inspiração da Medalha Rosa Negra, que a Seccional concede a personalidades que se destacam na condução de importantes trabalhos em garantia de direitos civis fundamentais para a população negra e minorias étnicas. Rosa Negra é também o título de sua biografia, lançada recentemente (“Rosa Negra – Retalhos de uma trajetória de superação” - Editora ID Cultural), uma parceria de Ivone com o advogado e professor universitário Carlos Alberto Lima de Almeida.

“Tomar a vacina é uma forma de valorizar minha vida”, diz. “A  única maneira de impedir que essa doença avance é todos se vacinarem. Perdi muitos amigos para a Covid e dois de meus irmãos tiveram a forma assintomática”. 

A magistrada conta que as perdas de pessoas queridas somadas à restrição radical das atividades profissionais e aquelas ligadas à Ordem pesaram sobre seu estado de espírito. 

“Fiquei depressiva, você sente que tudo acabou. Mas, ao mesmo tempo, a pandemia me ensinou que  a vida não merece ser levada tão a sério. De um ano para cá, sinto que meu gênio mudou. Eu que sempre fui ‘carrancuda’, aprendi a ser mais simpática, a brincar mais”. 

Observatório da Covid-19 da OABRJ 


Assim que a Organização Mundial de Saúde decretou estado de pandemia da Covid-19, em março de 2020, a Seccional criou um gabinete de crise para tratar das questões relacionadas ao novo coronavírus. Nove meses depois, quando a crise voltou a tomar proporções trágicas, a Ordem insituiu o Observatório da Covid-19 da OABRJ para acompanhar este novo estágio da evolução da pandemia promovendo contatos e parcerias com universidades e instituições de saúde, como a Fiocruz.

Cuidados individuais 


Antes e até mesmo depois de receber as doses da vacina, precisamos manter os cuidados individuais contra o coronavírus:

  • Manter as mãos sempre limpas com o uso de álcool 70%, em gel ou líquido;

  • Praticar o distanciamento social e evitar aglomerações;

  • Sempre usar máscaras feitas de materiais que comprovadamente protejam nariz e boca;

  • Informar-se por fontes confiáveis (site da Organização Mundial da Saúde, por exemplo);

  • Procurar assistência médica qualificada ao sentir sintomas;