Tesoureiro da OABRJ e presidente da Comissão de Prerrogativas, Marcello Oliveira reforça agora a campanha “Vacina é direito”, iniciativa da Ordem (por meio do Observatório da Covid-19) e da Caarj na qual figuras de destaque da advocacia fluminense se colocam a favor da ciência como única forma de pôr fim à pandemia. 

Aos 47 anos, Marcello foi vacinado recentemente com a primeira dose do imunizante da AstraZeneca. 

“Senti esperança de que possamos retomar nossas rotinas e encontros em breve”, conta. 

Pai de um filho pequeno, o advogado conta que o fechamento das escolas, embora necessário, despertou preocupação em relação ao desenvolvimento do jovem num momento crucial da infância. 

“Além disso, por muitos meses assumi afazeres domésticos conciliando-os com o home office. Não me adaptei totalmente ao trabalho de casa, prefiro o ambiente do escritório para trabalhar”.

A Covid poupou seu círculo familiar, mas Marcello perdeu amigos próximos e viu outros chorarem a morte dos pais. 

“Lamentavelmente, houve a politização de um tema que deveria, desde o primeiro momento, ser tratado por profissionais da ciência e da saúde. Notamos que a gestão pública ainda é muito rudimentar, não há preparo, não há planejamento no Estado brasileiro, com raras exceções”.

Marcello concentra sua prática privada no Direito empresarial. Esta é a segunda vez que desempenha a função de diretor tesoureiro da OABRJ: a primeira foi no triênio 2010/2012. Foi também coordenador-geral das comissões da OABRJ, presidente da Comissão de Exame de Ordem da OABRJ e conselheiro seccional. O advogado presidiu ainda  a Caarj entre 2013 e 2015.

“Na OABRJ, houve uma enorme mobilização institucional, primeiro em torno da expedição dos mandados de pagamento, que a Ordem insistiu para serem feitos na modalidade eletrônica. Depois, em relação ao cumprimento de prerrogativas profissionais no ambiente virtual. As novas ferramentas tecnológicas ajudam muito nossa vida, mas não se prestam a toda e qualquer situação. Não surgiram para gerar facilidade e acomodação, mas para dar mais celeridade e transparência ao processo”.

Marcello se diz otimista em relação ao futuro.

“Em toda crise, em toda transformação há oportunidades, precisamos encontrá-las e direcionar esse aprendizado para a organização de uma sociedade mais justa e igualitária. A advocacia tem papel crucial nisso, ela sempre será o melhor canal de acesso do cidadão ao Estado”.