Um ano após o início da pandemia do novo coronavírus e diante de um período de recorde de casos e mortes no Brasil em razão da doença, o #OABRJDebate desta semana trouxe convidados para debater o presente e o futuro em face da maior crise sanitária e social do século.

No episódio, com cerca de meia hora de duração, o ouvidor-geral da OABRJ e membro do Observatório da Covid-19 - criado pela entidade no último ano -, Carlos Henrique de Carvalho, e o presidente da Caarj, Ricardo Menezes, analisaram, junto com o médico sanitarista e chefe de gabinete da Presidência da Fiocruz, Valcler Ranger Fernandes, como foi a condução da doença e quais medidas ainda podem ser tomadas para que o vírus estanque em algum momento.

De acordo com o médico, "o cenário é extremamente sombrio", diante do crescimento contínuo do número de infectados. "Temos ainda no Brasil uma subnotificação importante dos casos. O nível de realização de exames e diagnósticos não está se elevando no nível que foi feito em outros países", avaliou, pontuando que só será possível interromper o ciclo de transmissão se forem tomadas providências.

Os entrevistados observaram a importância de as pessoas continuarem a usar máscara quando tiverem contato social e observar o distanciamento: "Nós sabemos da escassez das vacinas, por isso é tão importante o uso da máscara para que o vírus não se espalhe e tenhamos uma situação ainda pior com as variantes que estão surgindo", completou Fernandes.

Carvalho e Menezes falaram também sobre as ações da OABRJ e da Caarj, junto a demais entidades, diante das consequencias do isolamento.

O programa #OABRJDebate é apresentado pelo jornalista José Junior e é transmitido no canal da OABRJ no YouTube. A cada sexta-feira um episódio novo vai ao ar.