A Comissão de Direitos Humanos (CDH) da OABRJ participou como observadora da reconstituição da morte das primas Emily Victória da Silva Moreira Santos, de 4 anos, e Rebeca Beatriz Rodrigues dos Santos, de 7, ocorrida no dia 4 de dezembro na comunidade Barro Vermelho, em Gramacho, Duque de Caxias. A ação de reprodução simulada do assassinato das crianças, atingidas por um único tiro de fuzi, que feriu Emily na cabeça e Rebeca no tórax, ocorreu nesta quarta-feira, dia 10, no mesmo horário do crime, às 20h30.

Segundo o procurador da CDH, Rodrigo Mondego, que esteve na reconstituição junto com as advogadas Mariana Rodrigues e Fernanda Prates, integrantes da comissão, além da defensora pública Carla Viana, do Núcleo de Direitos Humanos da Defensoria Pública, houve o cuidado para que as condições de luminosidade estivessem a mesma do dia do crime, para que fossem analisados detalhes como a visão que as testemunhas tinham. As meninas foram baleadas enquanto brincavam na porta da casa onde moravam. Ao mesmo tempo, acontecia uma operação policial nas redondezas e testemunhas afirmam ter visto um disparo ter sido feito de uma viatura na rua do crime. Todos os agentes envolvidos negam.

A comissão, assim como a Defensoria Pública, acompanha o caso desde o início, reunindo-se com os familiares das vítimas e já afirmando, em outras ocasiões, que uma reconstituição era essencial para a elucidação das mortes.