Nunca foi tão necessário pedir mais visibilidade para a pauta da adoção, aponta a presidente da Comissão de Direitos da Criança e do Adolescente (CDCA) da OABRJ, Silvana do Monte Moreira. Em meio à pandemia, quando o mês marcado pelo destaque a ela não pode contar com ações presenciais, como a clássica Caminhada da Adoção, que acontecia na Praia de Copacabana, os problemas jurídicos que envolvem a matéria seguem acontecendo e a cada dia mais crianças precisam de um lar.

Por isso, a Seccional lança este mês a campanha Mês da Adoção OABRJ, que contará com vídeos divulgados em nossas redes sociais e matérias em nosso Portal até o Dia Nacional da Adoção, que é comemorado em 25 de maio.

Nos vídeos, advogados e advogadas que já adotaram contarão um pouco sobre como é o processo. E quem inaugura é justamente Silvana, que ao lado de sua filha, Maria Gabriela, frisa sobre o momento de lutar para que as crianças e adolescentes sejam tratadas pelo Judiciário com a prioridade absoluta que a Constituição Federal preconiza.

Segundo dados do Sistema Nacional de Adoção e Acolhimento, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), existem hoje 30.846 crianças e adolescentes em acolhimento familiar e institucional, 5.003 disponibilizados à adoção e 25.843 no que Silvana chama de limbo jurídico, ou seja, nem foram reinseridos na família de origem, nem os genitores foram destituídos do poder familiar. Enquanto isso, 33.225 pessoas habilitadas aguardam o momento de serem chamadas a adotar. Ela explica que diminuir a barreira que separa esses universos é a principal luta da comissão.

Esse e outros temas serão desenvolvidos nas próximas semanas aqui no Portal. Acompanhe.