A OABRJ expressa pesar pela morte de Vargas Vila Cruvello D'Ávila, 85 anos, presidente da OAB/Niterói entre 1989 e 1991. O advogado lutava contra um câncer no fígado e morreu nesta terça-feira, dia 12.

Militante desde 1972, quando graduou-se pela Universidade Federal Fluminense (UFF), teve atuação privada no Direito Civil, Eleitoral, Marítimo, Administrativo, Empresarial e Tributário. Mas fez questão de dedicar boa parte de sua trajetória ao trabalho em prol da classe. Assim que deixou a presidência da subseção niteroiense, foi secretário-geral da OABRJ entre 1991 e 1993 (na gestão de Sérgio Zveiter) e membro efetivo do Tribunal de Ética e Disciplina (TED) entre 2006 e 2009.

Deixou marcas duradouras na entidade:  participou ativamente da construção da Tabela de Honorários Mínimos da OABRJ e da Escola Superior de Advocacia (ESA). É dele a autoria do lema: “Sem advogado não há Justiça - sem Justiça, não há democracia”. Foi também ligado ao Instituto dos Advogados Brasileiros e à academia, lecionando em universidades. 

Era natural de Curitiba, mas niteroiense de coração. Por mais de 65 anos, Niterói foi onde trabalhou e construiu família. Vila fundou o Clube dos Advogados de Niterói e, em 1990, ganhou o título de Cidadão Honorário Niteroiense por outorga da Câmara Municipal.

“A OAB/Niterói recebeu a notícia com muita tristeza. Ele era um ícone da advocacia niteroiense e do Estado do Rio de Janeiro. Ele, que já ocupou cargos na Diretoria da Seccional e já foi presidente da subseção, era, atualmente, conselheiro da nossa gestão. Nesse momento, o mundo jurídico e a advocacia de Niterói estão muito tristes com essa notícia. Vargas era um advogado conhecido e respeitado por todos, de uma inteligência ímpar”, disse o presidente da OAB/Niterói, Claudio Vianna.

Vargas deixa três filhos do primeiro casamento: Gustavo, Ricardo e Eduardo. Era casado pela segunda vez com Marina Soares Cruvello D’Ávilla.

O velório será no Cemitério do Parque da Colina, em Niterói, às 9h.