Comentarista do jornal SBT Rio, o delegado Marcos Amim recomendou às mulheres vítimas de violência que compareçam à delegacia sem advogados. O conselho foi duramente criticado pela OABRJ, que em nota oficial externou sua preocupação com o desconhecimento e o menosprezo às importantes funções desempenhadas pela advocacia.

A Ordem reforça que a defesa técnica exercida por advogadas e advogados funciona como um escudo no momento do registro de tais ocorrências, evitando inúmeros problemas encontrados pelas vítimas nas delegacias, por exemplo.

Leia abaixo a íntegra do texto:

Nota oficial 

A Ordem dos Advogados do Brasil - Seção do Estado do Rio de Janeiro vem a público externar grande preocupação com as declarações do delegado Marcos Amim que, em entrevista à emissora SBT, recomendou à mulher vítima de crimes que  compareça à delegacia sem advogados. 

A conduta do delegado menospreza a importância da defesa técnica  no momento do registro da ocorrência. As vítimas desassistidas de advogados encontram dificuldades até mesmo no registro, como são os inúmeros relatos de mulheres. O conhecimento técnico da advocacia dá conta de evitar os problemas ocorridos em delegacia, salvaguardando a vítima de maiores traumas. 

Ademais, a advocacia é  eficaz em garantir maior proteção à mulher, que, em sua maioria, necessita de medidas protetivas de emergência, já que a violência ocorre, via de regra, em seu lar. 

O desconhecimento técnico pode gerar a perda de inúmeras vidas.  A OABRJ reafirma sua luta em prol do direito das mulheres e coloca a advocacia como sua principal aliada no combate às agressões.

Rio de Janeiro, 15 de julho de 2021
Diretoria da OABRJ