A adoção das audiências virtuais, solução adotada pelo Poder Judiciário para manter a prestação jurisdicional durante o período de isolamento social, será o tema da live que a OABRJ organiza em parceria com a Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 1ª Região (Amatra1). Intitulado “Audiências telepresenciais - ambientação e vivência na prática”, o encontro ocorrerá na  terça-feira, dia 25, às 19h, no canal da Amatra1 no YouTube e no perfil da entidade no Facebook. 

A diretora de Inclusão Digital e Inovação da Seccional, Maria Luciana de Souza, e a diretora da Amatra1, juíza Patrícia Lampert, são as debatedoras. 

"A ação conjunta da OABRJ e da Amatra1 é mais uma iniciativa que deriva da união de esforços, da construção de pontes e da sensibilidade às dores da advocacia fluminense nesse momento de extrema adversidade”, afirma Maria Luciana.

A diretora abordará na conversa os pontos que mais preocupam os colegas e afirma que o debate também será uma oportunidade de conhecer a perspectiva da magistratura. 

“Essa troca é fundamental para que todos se sintam mais seguros e conheçam as dores do outro (advogados e magistrados). Estamos todos aprendendo, conhecendo e tratando as adversidades. Estou feliz com a disposição da Amatra1 de ser um agente de capacitação da advocacia trabalhista. Juntos somos mais fortes”.

A live complementa o workshop “Audiências telepresenciais trabalhistas na plataforma Cisco Webex”, que será ministrado pelo juiz Marcelo Segal, na quinta-feira, dia 27, também nos canais da Amatra1.  O magistrado fará, junto aos participantes, uma experimentação prática das funcionalidades do sistema disponibilizado pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça) para a realização das audiências. 

“A ideia (da live) é trazer as experiências que estamos vivendo neste período. Falar sobre o que tem sido feito nas audiências telepresenciais até o momento e fazer uma troca de ambientação, tratando das dificuldades verificadas tanto do ponto de vista dos juízes quanto dos advogados”, afirma Lampert, que indicará os procedimentos que têm sido adotados nas varas do Trabalho. 

“Levarei esse debate para que os advogados saibam o que está por trás das audiências e, assim, possamos colaborar uns com os outros na continuidade da prestação jurisdicional".