OAB-Niterói inaugura galeria que homenageia advogados

 

 

Do Jornal O Fluminense

 

17/10/2007 - A 16ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-Niterói) homenageou ontem os advogados vítimas da violência urbana com a abertura de uma galeria no saguão do 10° andar da entidade, onde já se encontram espaços dedicados aos ex-presidentes da OAB do antigo Estado do Rio e aos ex-presidentes da Subseção de Niterói. A galeria poderá ser visitada de segunda a sextafeira, das 9h às 20 horas.

 

A solenidade contou com a presença dos presidentes da OAB-Niterói, Antônio José Barbosa da Silva, e da OAB/RJ, Wadih Damous, além do jurista e orador Jorge Loretti. O professor Paulo José Sally, filho de Paulo Sally, vítima da violência há 14 anos, agradeceu em nome das famílias.

 

Os 13 homenageados, cujos nomes estão gravados numa placa, foram assassinados entre 1994 e 2007. As vítimas foram: Roulien Pinto Camillo, Paulo Roberto de Araújo Sally, Francisco de Assis Bezerra da Silva, Joeme Guimarães Barros, André Araújo Brito, Luiz Otávio Amaral, Nélia Lourenço, André Peixoto de Siqueira, Jorge de Cosme Silva, Cátia das Graças Barroso, Said Simão, Jamil Pires Mansur e Irinéia Sant'Anna de Oliveira.

 

Também compareceram ao evento os vereadores Wolney Trindade (PMDB) e Felipe Peixoto (PDT).

 

O presidente da OAB/RJ, Wadih Damous, ao falar da violência em Niterói, criticou a forma de trabalho da polícia e disse que os jovens precisam sonhar com um futuro. "A polícia não pode tratar a segurança pública como uma questão de guerra. Precisamos de uma política de segurança que obedeça aos marcos do que diz a Constituição; a lei tem que ser cumprida. As nossas crianças precisam de cidadania, só assim elas sonharão com um futuro que não seja o do crime", afirmou Damous.