Cidade com o segundo maior crescimento populacional do estado e palco de um boom imobiliário, Maricá acaba de ganhar mais um investimento da OABRJ, um posto avançado em Itaipuaçu, localizada a 35 quilômetros da subseção maricaense. 

Nesta sexta-feira, dia 13, o presidente da OABRJ, Luciano Bandeira, entregou ao dirigente da subseção local, Eduardo Carlos de Souza, a Casa da Advocacia Amilar Dutra, assim batizada para lembrar aquele que por 12 anos esteve à frente da OAB/Maricá (entre 2007 e 2018) e, em dezembro de 2020, tornou-se mais uma baixa que a Covid-19 impôs à advocacia fluminense.

Localizado na Avenida Carlos Mariguella, nº 8648 - Lote 4 - Quadra 84 - Lojas 104 e 105 (Loteamento Costa Verde), o novo espaço oferece internet de alta velocidade, dois escritórios digitais, central de peticionamento eletrônico com digitalização, banheiro e copa. 

O projeto que complementa a ampla estrutura já oferecida pela sede da subseção (localizada no bairro Eldorado) materializa o compromisso da gestão Luciano Bandeira de aumentar a capilaridade dos serviços da Ordem, pois vai contemplar o colega que mora em distritos mais afastados, sobretudo aqueles que tiveram de abrir mão de seus escritórios por causa da pandemia. Também ganham os inúmeros colegas mantêm endereço profissional em outros municípios da Região Metropolitana  e moram no balneário.

Acompanharam Luciano na inauguração a vice-presidente da OABRJ, Ana Tereza Basílio; o secretário-geral, Álvaro Quintão; o tesoureiro, Marcello Oliveira; o secretário-adjunto, Fabio Nogueira; o procurador-geral, Alfredo Hilário; o assessor especial da Presidência, Carlos André Pedrazzi; e a presidente de OAB Jovem estadual e nacional, Amanda Magalhães. A Caarj foi representada pelo presidente Ricardo Menezes e pelo tesoureiro Fred Mendes. 

As filhas de Amilar - que é lembrado também pela atuação como procurador do Município de Maricá - Isabel e a advogada Mariá Bittencourt, receberam as honras em nome da família. “Meu pai lutou muito pela nossa classe e esse reconhecimento demonstra o carinho que a advocacia de Maricá tem por ele”, disse Mariá. 

Luciano, que foi contemporâneo de Amilar como presidente de subseção (da Barra da Tijuca), falou de forma saudosa do “amigo muito querido que construiu uma história de homem de Ordem e de dedicação à advocacia”. 

“Ter seu nome batizando uma estrutura voltada para a classe  coroa a luta de uma vida voltada para dar dignidade aos colegas de Maricá e do Rio de Janeiro”, disse Luciano.

“Esta Casa da Advocacia valoriza e dá dignidade a advogadas e advogados, que não vão ficar sem exercer a profissão por falta de estrutura. Nossa missão é garantir que cada um tenha condições necessárias para trabalhar, por isso, estamos entregando 300 escritórios digitais até o final desta gestão”. 

Para o presidente da OAB/Maricá, Eduardo Carlos De Souza, a  realização, neste momento histórico tão delicado, demonstra a união e o fortalecimento da advocacia local. 

“Nossa gestão se dedica ao advogado militante que toca a rotina da Justiça do município, que sai para trabalhar na pandemia ao sabor da sorte e sofre arbitrariedade de magistrado ou recebe tratamento indelicado por parte de servidores”, afirmou Souza.

“A parte mais fácil foi escolher o nome da casa”, disse ele sobre o “amigo de Ordem, leal, fiel aos verdadeiros valores da profissão”. 

A vice-presidente da OABRJ, Ana Tereza Basílio exaltou a representatividade feminina no corpo diretivo da subseção. “Somos 51% da classe, então esse presente é principalmente para nós”, disse ela, com bom humor.