Em períodos de crise, é necessário redobrar a atenção com a gestão financeira. Com isso em mente, o tesoureiro da OABRJ, Marcello Oliveira, convidou o ex-presidente da OAB Maringá Marcelo Costa para falar aos mandatários das unidades da Ordem na manhã deste sábado, dia 14, sobre a experiência exitosa que ele teve na geração de receitas naquela subseção. 

"As subseções dependem do repasse da Seccional, que é a principal fonte de receita. Mas eu acredito ser muito importante buscar novas fontes. Não adianta fazer apenas o discurso da gestão financeira, temos que buscar novas formas de financiar o nosso sistema, isso dá independência para as as subseções", pontuou Marcello.

A OAB Maringá tem em torno de 5500 advogados, o que a classifica como uma subseção de médio porte. Marcelo Costa presidiu a unidade da Ordem entre 2016 e 2018 e atualmente é conselheiro da OAB Paraná. Ele contou que quando assumiu a direção da subseção apresentou um projeto pré-montado de desenvolvimento, que estava dividido em quatro passos que proporcionaram a sustentabilidade financeira da subseção

Primeiro, ele organizou as comissões. "Convidei a advocacia a integrar a OAB, promovendo a valorização da advocacia por meio das comissões. Os grupos tinham algumas missões, como realizar uma reunião periódioca obrigatória, promover, pelo menos, um evento jurídico por ano e ter um projeto em que a OAB pudesse contribuir com a sociedade. Em três anos, desenvolvemos e participamos de quase trezentos eventos. Isso foi intensificando o nome da OAB na região", disse. 

Segundo Costa, o segundo passo foi trabalhar a imagem da OAB dentro da própria advocacia e da sociedade, focando na comunicação da subseção. Foi criado um jornal impresso e a presença nas redes sociais foi intensificada. Outro ponto importante, segundo ele, é a necessidade de integração da OAB com as instituições de Ensino Superior da região. "Me reuni com os diretores e coordenadores dos cursos de Direito de todas as faculdades da região para realizar eventos em conjunto", disse. 

Por fim, ele abordou a questão da apresentação dessa marca OAB, que foi construída ao seguir os outros passos, buscando patrocínios para as ações da subseção. "É importante sempre procurar empresas idôneas, já que estamos tratando da imagem da Ordem", aconselhou.

OAB Iguaba Grande anuncia projeto de captação de energia solar 

Com olhar sensível à questão ambiental, a presidente da OAB Iguaba Grande, Margoth Cardoso, apresentou um projeto de criar usinas produtoras de energia solar e também de captação de água de chuva para atender às subseções e também a Seccional. "Temos que pensar de forma coletiva. Nossa ideia é fazer dez usinas em todo o estado, sendo três delas no interior. Com esse projeto, a Seccional do Rio de Janeiro está dando um primeiro passo em um projeto que vai transformar o futuro da sociedade", disse. Segundo ela, a construção das usinas será iniciada em breve e elas gerarão energia para todo o sistema OAB.