O painel que tratou da atuação da Diretoria de Mulheres da Seccional, novidade da gestão do presidente Luciano Bandeira, iniciou os trabalhos na manhã deste sábado, dia 14, no II Colégio de Presidentes de Subseção, que acontece até domingo, dia 15, em Macaé. 

Capitaneada por Marisa Gaudio, a diretoria concentra sua atuação na defesa das prerrogativas da mulher advogada e na valorização da profissão, com projetos que pretendem incentivar a participação das colegas tanto no sistema OAB quanto em postos de destaque na advocacia.

"É por isso que precisamos de uma diretoria voltada às mulheres. Se olharmos ao redor, vemos que os homens ainda são maioria nos espaços de poder. Voltamos nossa atenção à advocacia feminina porque temos violações de prerrogativas que acontecem em função do gênero", destacou Marisa, sinalizando que dar visibilidade às mulheres tornará a OAB mais paritária

Uma série de projetos estão sendo realizados pelo grupo neste sentido, não apenas em âmbito estadual quanto também no âmbito nacional, por meio da Comissão Nacional da Mulher Advogada, da qual Marisa faz parte da diretoria. Em novembro, a Caravana Nacional de Prerrogativas passará pelo Rio de Janeiro e as necessidades específicas da mulher advogada estarão em foco. 

Marisa também adiantou que está em fase de produção uma espécie de "selo" que a Seccional concederá a escritórios de advocacia que promoverem uma política de crescimento vertical das advogadas, um ambiente livre de assédio e de outras violências. O selo será voluntário, mas ela acredita que este é um primeiro passo para mudar uma cultura discriminatória contra as mulheres. "Onde estão as mulheres nos grandes escritórios? Precisamos de uma política que faça com que essas mulheres possam ascender. Já somos a metade da advocacia, mas isso não se reflete nos altos cargos dos escritórios", criticou.

A diretoria também elaborou uma cartilha que destrincha as prerrogativas das advogadas, bem como questões de violência contra a mulher e a Lei Júlia Matos, que dá direitos às advogadas mães. A ideia é levar essa cartilha para as subseções em forma de oficina. 

Sucesso na Seccional desde 2017, a série de palestras 'As especialistas' também será interiorizada. "Colocamos na mesa só mulheres advogadas para valorizar a advocacia feminina. Temos especialistas em todas as áreas, mas muitas vezes elas não aparecem. É nosso dever dar esse espaço a elas. Na sede, sempre convidamos alguém das subseções, mas a ideia ao levar esse projeto para o interior é promover as advogadas em cada região", adiantou Marisa.

Outro projeto em fase de conclusão pela Diretoria de Mulheres é uma parceria entre o grupo e a vice-presidente da OABRJ, Ana Tereza Basílio, que está à frente do projeto Porte de Livros. A ideia é levar livros para presídios femininos, já que a leitura é um dos critérios que ajudam na diminuição de pena. Também está em fase de elaboração um projeto que tem como foco a reinserção de advogadas que retornam à profissão após a maternidade. "Precisamos trazer essas mulheres de volta para o mercado da advocacia", finalizou Marisa.