Notícias
11/08/2017 – 00h04 | última atualização em 11/08/2017 – 13h26

União da advocacia marca história de luta da OAB/RJ

Fonte: redação da Tribuna do Advogado
Arte: Raphael Carneiro   |   Clique para ampliar
"Uma demonstração de união da categoria por valores fundamentais". Com essas palavras, o presidente da OAB/RJ, Felipe Santa Cruz, definiu o ato, convocado pela Ordem em novembro de 2016, contra o colapso no Judiciário do Rio de Janeiro. A manifestação, que reuniu cerca de mil colegas na porta do Tribunal de Justiça (TJ), foi mais um importante episódio na história de luta da Seccional, marcada por debates, encontros, campanhas, que evidenciam, em cada momento, a força da advocacia unida. Na ocasião, estiveram reunidos advogadas, advogados, presidentes de subseções, de seccionais e do Conselho Federal. 
 
Como frisou Felipe em sua fala, a diversidade da classe não foi impeditivo para a reivindicação de um bem comum: a valorização da categoria. “Aqui há pessoas que podem pensar de forma diferente, mas estão juntas pela advocacia e pelo povo do Rio", destacou. 
 
A histórica manifestação pelo bom funcionamento do Judiciário esteve em consonância com outras ações  da OAB/RJ nos últimos anos contra a morosidade dos tribunais e pelo exercício digno da profissão. Em fevereiro de 2015, por exemplo, milhares de colegas aderiram à campanha Sem advogada não há justiça/Sem advogado não há justiça, adesivando seus carros e objetos pessoais com esse slogan.
 
“A advocacia está em condições de igualdade com a magistratura e com o Ministério Público. E isso deve ser afirmado pelos mais de cem mil colegas a serviço do povo em nosso estado. Nossa proposta é elevar a autoestima da classe e mostrar para a população que a advocacia é um pilar da nossa democracia. Acredito que esse seja um papel da Ordem”, afirmou Felipe, na época, ao apresentar o projeto no 39º Colégio de Presidentes de Subseções. 
 
Desde o lançamento da ação e a distribuição do material, tornou-se cotidiana a campanha no sentido de disseminar e fortalecer entre a população o valor da profissão e sua essencialidade para o aprimoramento do Estado Democrático de Direito. 

Em mais um exemplo de união, recentemente, entre os meses de abril e maio, a categoria marcou posição contrária às propostas de reformas previdenciária e trabalhistas, debatendo a questão em audiências públicas realizadas na sede da OAB/RJ e capitaneadas pelas comissões relacionadas aos temas.
 
Em ato organizado pela Comissão de Justiça do Trabalho (CJT) da Seccional, dezenas de colegas estiveram reunidos na porta do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), na Rua do Lavradio, engrossando o coro contra as propostas e em defesa da Justiça do Trabalho. Na ocasião, o presidente do núcleo, Marcus Vinicius Cordeiro, explicou que as mudanças retirarão direitos dos trabalhadores. “Essa reforma está sendo feita a toque de caixa, sem ouvir amplamente os segmentos envolvidos, os trabalhadores e os empregadores honestos que acreditam na Justiça do Trabalho como uma forma de resolver conflitos”, afirmou.

O presidente da Comissão de Prerrogativas e tesoureiro da Ordem, Luciano Bandeira completou destacando que "a OAB/RJ é contra qualquer retirada de direitos, seja na questão da previdência quanto na questão trabalhista". Para Luciano, é fundamental na luta contra retrocessos a participação efetiva de uma classe unida e forte como a advocacia.

Ao longo de cada ano, são dezenas de eventos - entre atos, audiências públicas e campanhas - em que se reúnem advogadas e advogados para discutir e elaborar medidas efetivas no sentido de garantir o digno exercício da profissão e a garantia de direitos para a sociedade.
PUBLICIDADE
OAB/RJ - Av. Marechal Câmara, 150 - Rio de Janeiro - RJ - CEP: 20020-080 - Fones: (21) 2730-6525 / (21) 2272-6150
atendimento@oabrj.org.br - 2012 - OAB/RJ online - Todos os direitos reservados.
Fechar(x)